Empreendedorismo Motivação

CORAGEM!!! Mas também motivação para Empreender…

E chegou o momento! Foram anos de dedicação numa empresa privada ou até mesmo pública, anos de contribuição com Fundo de Garantia e o grande sonho de ir até o banco e fazer o recolhimento, o acerto, as férias, a poupança, a previdência privada, as aplicações… Muitas vezes alguns imóveis e até mesmo o veículo. É agora! Vou ter meu próprio negócio! É assim que lidamos quando tratamos dos sonhos de pessoas que querem empreender. Anos fazendo suas reservas para o tão sonhado negócio próprio. Isso sem levar em consideração a possibilidade de aquisição de empréstimos para alavancar esse empreendimento.

Passada a euforia inicial, muitas vezes deparamos com potenciais empreendedores que vislumbram oportunidades onde não há oportunidades. A ótica que no território que você reside não tem determinado ramo de negócio e então corre, abre que vai dar certo é uma linha totalmente tênue sobre a mesma ótica que no seu território não tem esse negócio porque a cidade, o bairro ou região realmente não comporta. Existem vários fatores que interferem na abertura e sucesso de um novo negócio. Dentre eles podemos citar a necessidade do mercado, o nível de competição entre as empresas do setor, a quantidade e qualidade dos recursos disponíveis (dinheiro, conhecimento, pessoas). Um outro fator muito importante é a motivação para empreender.

A motivação está associada à intensidade, foco (direção) e persistência dos esforços de uma pessoa para o alcance de um objetivo. De uma forma geral ela se dá pela exploração de uma oportunidade ou necessidade. Se a motivação que temos para nos tornarmos empreendedores não possui base sólida, é bem provável que o negócio não consiga se desenvolver. Vejamos alguns exemplos: uma pessoa resolve empreender para ter mais autonomia em seu trabalho. Em muitos casos, a dedicação necessária para o novo negócio é muito superior ao trabalho anterior. Com o tempo, a tendência é perder o interesse na manutenção do empreendimento. Outro exemplo: alguém resolve empreender para explorar em tempo integral seus hobbies ou alguma paixão. Só que o novo negócio envolve não só questões prazerosas mas também algumas exigências rotineiras (alguém tem de abrir a loja todos os dias).

 

Temos dois modelos de empreendedores e eles estão totalmente atrelados a motivação. São eles:

1)    O empreendedor por necessidade, aquele que precisa do dinheiro para sobreviver, não encontra outra forma de remuneração por dificuldades para se inserir no mercado de trabalho e acaba adotando o caminho do empreendedorismo como forma de se sustentar. Geralmente, esses empreendedores não desejariam ter um negócio próprio se pudessem escolher. Sua taxa de mortalidade é alta, pois ou o empreendedor abandona seu negócio na primeira oportunidade de emprego que aparece ou acaba quebrando mesmo por falta de competência, de estrutura ou porque a oportunidade não era sustentável ao longo do tempo.

2)    O empreendedor pós-sobrevivência. Trata-se daquele que começou como empreendedor por necessidade e consegue superar o sufoco dos primeiros anos, quando a instabilidade é alta, e a fragilidade, também. Normalmente às duras penas, esses empreendedores conseguem estabilizar seus negócios e atingir um nível de volume de negócios que lhes garante um ganho mínimo sem sobressaltos. Esses empreendedores têm medo de que seu negócio saia do controle. São traumatizados pelos primeiros anos de vida do empreendimento, passaram por muitas dificuldades e respiram com alívio a estabilidade adquirida.

Antes de abrir um novo negócio, pense nos reais motivos que você possui. O seu conhecimento pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso.

Sobre o autor

Elder da Silva de Almeida

Elder da Silva de Almeida

Me chamo Elder S. Almeida, Analista Técnico do SEBRAE MG, hoje um dos responsáveis pela microrregião de Ubá, MG. Há 4 anos no SEBRAE, onde também fiz 2 anos de estágio. Casado com a Thais, pai da Luiza e formado em Administração de Empresas pela FAGOC – Faculdade Governador Ozanam Coelho, com MBA em Gestão de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e cursando Gestão Estratégica de Pessoas e Coaching. No SEBRAE-MG sou gestor de projetos para grupos setoriais, prestando também orientações e contribuindo para o planejamento e geração de novos negócios.

A Central Empreendedor é uma iniciativa própria que tem como objetivo auxiliar os potenciais empreendedores e já empreendedores formais a conhecerem mais sobre a cultura empreendedora na geração de negócios inovadores e sustentáveis, levando informações relevantes sobre o tema, insights de motivação, inovação, oportunidades de negócios e economia. Promover uma atitude mental que engloba motivação e a capacidade do indivíduo de empreender da forma mais solida possível.

Comentários