Inovação

Negócios colaborativos ganham força

Redação Central
Escrito por Redação Central

Cada vez mais, os consumidores estão aderindo a um modelo de consumo em que o acesso ao bem independe de sua posse.  É a era da economia colaborativa, que inclui a troca, uso, aluguel e venda de produtos, serviços e espaços.

 

O Brasil é líder em iniciativas colaborativas na América Latina, segundo estudo do IE Business School, em colaboração com o Banco Interamericano de Desenvolvimento. “A produção, o financiamento, o conhecimento e o consumo colaborativo são uma das principais tendências do século e tendem a estimular a evolução do modelo socioeconômico atual, competindo com atividades tradicionais”, explica o analista do Sebrae Minas Manoel Castello Branco.

 

Segundo ele, “embora o movimento da economia colaborativa esteja em ascensão, poucas iniciativas conseguem emergir e sobreviver”. Falhas na legislação e a falta de estratégias de posicionamento no mercado são obstáculos ao desenvolvimento de negócios no setor.

 

  • Setores em destaque na economia colaborativa:
  • Serviços para empresas
  • Transporte e aluguel de espaços físicos
  • Hospedagem
  • Locação de bens, como peças de vestuário, artigos eletrônicos e de luxo ou eletrodomésticos

 

Sobre o autor

Redação Central

Redação Central

Central Empreendedor é um lugar para você descobrir, desde os primeiros passos, os caminhos para se tornar um verdadeiro empreendedor.

Aqui você tem acesso a matérias sobre motivação, inovação, oportunidades e tudo o que você precisa para crescer no seu negócio.

Comentários